Governador do Ceará prorroga lockdown por mais uma semana

Noticias

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou neste domingo,4, a prorrogação do decreto que estabeleceu lockdown em todo o estado até o próximo dia 11. A decisão foi tomada após uma reunião com membros do Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia do Coronavírus. 

O governador fez o pronunciamento nas redes sociais e afirmou que, apesar de os índices mostrarem a redução de casos, a transmissão do coronavírus no estado ainda é muito alta. Inicialmente, esperava-se que o governo afrouxasse as medidas de restrição a partir desta segunda.

“Enquanto não tivermos vacina para todos, a única forma de proteger a população é o isolamento social, o uso da máscara. Então, por uma questão de precaução, pela orientação dos cientistas, estamos anunciando que vamos iniciar flexibilização de forma planejada das atividades não essenciais a partir do dia 12 de abril”, afirmou Santana.

Atualmente, a taxa de ocupação de leitos de UTI para pacientes com Covid-19 no Ceará é de 92,05%. Neste domingo, o estado registrou 4.076 novos casos e 56 óbitos pela enfermidade. Ao todo, mais de 488 mil pessoas contraíram o vírus no estado, ao passo que 12.806 habitantes perderam a vida para a doença.

No Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Noticias
TikTok: adolescente sequestrada é salva após usar gesto que viralizou na rede social

Uma adolescente americana que estava desaparecida foi encontrada após fazer sinais com a mão que aprendeu no TikTok para pedir ajuda para desconhecidos.

Noticias
Empresa desiste de lote regional que conquistou no leilão do 5G, informa Anatel

Fly Link operaria no Triângulo Mineiro e em localidades de MS, GO e SP. Segundo agência, empresa desistiu da oferta, pois não conquistou outros lotes que “complementariam o seu modelo de negócios”.

Noticias
Itamaraty responde à CPI que não é fonte da declaração de Bolsonaro sobre ‘guerra química’

CPI perguntou se origem da declaração do presidente, que fez referência indireta à China, é informação da pasta. ‘Será que não estamos enfrentando uma nova guerra?’, indagou Bolsonaro.